Thursday, June 16, 2011

Adeus, Clara.

Hoje a Clara se foi. Engraçado, bem que eu desconfiei. Foi a primeira vez em meses que despertei às 6:30h da manhã, quando o habitual seria ela me despertar às 5:30h. com toda aquela conversa que estávamos atrasados, que deveríamos colocar o papo em dia, discutir nossa relação, essas coisas. Fui até a prancheta e nada. Nem vestígios dela. Nem pelo café esperou. Embarcou no primeiro trem e nem sei seu destino. E, cá entre nós, ela é dona do seu próprio nariz, não é? Pode ir pra onde quiser sem dar satisfação pra mim ou para o Wander. Aliás, nem mesmo para o Lima porque ele bem sabia que ela não pertence a lugar algum. Mas, o pior é que a gente se afeiçoa. E agora fica um certo vazio lá em casa. Ei, quem sabe ela não bate à sua porta qualquer dia desses? Olha, deixe ela entrar mas, cuidado, não vá se apegar muito porque ela está sempre de malas prontas.
Post a Comment